Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Gwilliam, George Henry’ Category

G. H. Gwilliam, editor da primeira (e única) edição crítica dos Evangelhos na versão Peshitta, escreveu quatro artigos sobre a versão Peshitta do Novo Testamento, publicados nos volumes da série Studia Biblica et ecclesiastica : essays chiefly in Biblical and patristic criticism. Talvez alguns desses artigos estejam um pouco desatualizados, mas valem a pena conferir.

Studia Biblica et ecclesiastica : essays chiefly in Biblical and patristic criticism

artigos por G. H. Gwilliam

Volume 1 p. 151

A syriac Biblical manuscript of the fifth century with special reference to its bearing on the text of the Syriac version of the Gospels;

Volume 2 p. 241

The Ammonian Sections, Eusebian Canons, and harmonizing tables in the Syriac Tetraevagelium, with notices of Peshitto and other MSS. which exhibit these accessories of the text.

Volume 3 p. 47

The materials for the criticism of the Peshitto New Testament, with specimens of the Syriac Massorah

Volume 5 p. 187

The place of the Peshitto version in the apparatus criticus of the Greek New Testament

Anúncios

Read Full Post »

Tetraeuangelium Sanctum: juxta simplicem Syrorum versionem adfidem codicum, massorae, editionum denuo recognitum.

Texto aramaico com tradução em latim, em páginas opostas.

[texts] Tetraeuangelium sanctum juxta simplicem Syrorum versionem adfidem codicum, Massorae – Pusey, Philip Edward, 1830-1880
26

Download: aqui.

Autores: Philip Edward Pusey; George Henry Gwilliam.
Editora: Oxonii, e Typographeo Clarendoniano.
Ano: 1901.
Páginas: xvi + 608.

Esta é uma edição crítica dos quatro Evangelhos em aramaico –  Peshitta. O texto é baseado em 42 manuscritos de diferentes localidades, variando em idade do  século V até o XII. A maior parte dos manuscritos utilizados são de tradição ocidental,  e o texto final tende a apresentar características desta tradição. Como as variações entre os textos são anotadas no rodapé das páginas, pode-se perceber as diferenças entre os textos ocidentais e orientais. Apesar de que estas diferenças são poucas.

Língua: Texto em aramaico, escrita Serto, com introdução, notas e tradução em latim.

Observação: O texto começa na última página do documento.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: